A "transição planetária" é científica, mas por que é melhor compreendia pela ótica espiritual?



A chamada "transição planetária" não se explica apenas nas perceções metafísicas, com as incessantes mensagens que chegam a milhões de pessoas através da mediunidade, meditação ou nas jornadas individuais de autoconhecimento, mas sim no fato já demonstrado de muitas formas pela ciência que tudo que existe, seja em nossas células ou em toda uma galáxia é composto de ciclos dentro de ciclos que se repetem continuamente em novas escalas de energia, vibração e frequência, como nos ensinou Nikola Tesla e outros gênios da humanidade.


A ciência afirma atualmente que apenas 3% do universo é físico, que inclui planetas, luas, meteoros, e o restante é composto por "energia escura" ou "matéria escura", um "tecido" que preenche quase que inteiramente o universo, mas que é impercetível pelos sentidos humanos.


A nossa galáxia se movimenta a 2 milhões de km/h e o planeta Terra, junto com nosso sistema solar está se movimentando, "puxado" pela gravidade do sol a uma velocidade de 81.720 km/h rumo a novas regiões da nossa galaxia em seu movimento ao redor do centro galático. A Terra não gira estática ao redor do sol, como a escola nos fez entender, em uma observação de "cima pra baixo". Mas é a visão "de lado" desse movimento? Nunca aprendemos. Mas hje sabemos como é, veja o video: https://youtu.be/0jHsq36_NTU


A "transição planetária" se relaciona com o movimento do nosso sistema solar pela galáxia e representa o "ápice" de uma mudança de padrão vibratório, uma transição de um padrão para outro. A ciência já confirmou que a Terra está se locomovendo mais rápida e está se aproximando do centro da galáxia, região com gigantesca densidade energética (veja em https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=terra-mais-rapida-esta-mais-proxima-buraco-negro-central-galaxia&id=010130201202 )


A crescente carga energética que estamos recebendo e suas consequências pode ser compreendida ao fazer uma comparação com as notas musicais: a transição entre a nota "Dó" e "Ré" é alcançada por uma crescente vibração e frequência entre a desarmonia (desafinado) para a harmonia (afinado) da nova nota. Na Natureza é possível observar quando a frequências e vibrações encontram a harmonia pois formam padrões geométricos, que são lindamente demonstrada pela "cimática", e é demonstrada em vários animais como no casco da tartaruga ou nas malhas de felinos e padrões visuais de peixes.


Nosso planeta e sistema solar esta se dirigindo para regiões mais energéticas da galáxia, e com isto estamos realizando a transição de uma "nota para outra", entrando em uma nova harmonia vibracional, como uma corda que alcança a afinação. E neste processo passaremos por limites bem definidos entre um "padrão vibracional" e outro. Assim como há entre as notas musicais. Para compreender a essência deste cenário, visualize o caso do Rio Negro e Solimões, que mesmo sendo da mesma natureza (água) não se misturam e formam até uma linha divisória muito clara e evidente na superfície. É isso. É como se estivéssemos do Rio Negro prestes a entrar no Rio Solimões, ou vice versa.


O que mudará ao realizarmos essa transição? Quais os aspectos de influência dessas "novas águas", compostas por diferentes níveis de Energia, Vibração e Frequência?


Isso pouco se sabe. A ciência agora expandida cada vez mais pela física quântica consegue chegar, ainda nos primeiros passos, até a compreensão dos ciclos e das diferentes faixas de Energia, Vibração e frequência do cosmo. Mas, apesar de um movimento crescente, ainda não consegue ir além deste limite.


É claro que esses novos fatores energéticos irão trazer consequências para a realidade física do planeta, que envolvem suas questões geológicas, pelas placas tectônicas, vulcões e tempestades, e também físicas e astronômicas como nas camadas atmosféricas, pólos magnéticos e velocidade rotacional. (por sinal, 2021 começa com movimento recorde de rotação do planeta Terra, veja em: https://gizmodo.uol.com.br/terra-girando-mais-rapido-2021/)


Porém, mesmo com todas essas alterações "físicas" que poderão ocorrer, a mais impactante e transformadora mudança que a "transição planetária" trará diz respeito à individualidade de cada um de nós, seres humanos. A nova realidade energética atuará diretamente em nossos corpos físicos e sutis. Nossos sistemas de chacras e os nossos 7 corpos vibracionais (veja em: https://www.facebook.com/JornalistadaNovaEra/videos/1347513615352513/) serão grandemente afetados.


A consequência desta transição será uma "sutilização" energética crescente do corpo humano, que será "forçado" a estabilização e funcionamento em novos padrões energéticos.


Conforme nos aproximamos da transição planetária será cada dia mais frequente o aparecimento de sintomas físicos inexplicáveis, que não encontra razão pelos exames da medicina atual.


Cada dia mais nossos pensamentos e sentimentos afetarão a nossa saúde física. Cada dia mais veremos crescente mediunidade e fenômenos "paranormais" entre as pessoas, especialmente as novas gerações. Cada dia mais teremos desencarnes (mortes) inesperadas por derrames, ataques cardíacos, choques anafiláticos, pois como fios elétricos estaremos carregando muito mais energia por nossos corpos.


Os seres que não se adaptarem as novas energias serão naturalmente incompatíveis com a nova realidade da Terra e direcionados ao plano espiritual para continuidade de suas jornadas evolutivas em outros planos das "muitas moradas da casa do Pai", como disse Jesus.


Por todas essas razões que quando se fala em "transição planetária" não é possível "escapar" do campo espiritual, pois mesmo sendo possível compreender seu conceito pelos avanços da ciência materialista atual, a amplitude consciencial do acontecimento só é possível quando se fala em termos de Energia. E, mesmo sabendo que "energia" é uma realidade tangível no universo, sendo até mesmo equacionada, como na famosa E=m.c2 (Energia é igual a massa multiplicada pela aceleração ao quadrado), não é visível e apenas é compreendida e sentida intuitivamente e não materializada.


Já existem estudos muito interessantes que relacionam os sentimentos superiores como de amor, paz, perdão, harmonia com taxas mais elevadas de Energia, enquanto os sentimentos inferiores de raiva, inveja e vergonha, por exemplo, vibram em taxas mais baixas. Nem seria preciso estudos para confirmar isso, afinal é óbvia a constatação da diferença energética que há em uma pessoa plena em paz e outra em ódio e violência.


Desta forma, a transição que estamos passando compreende uma realidade perene no universo, feito de ciclos, e nos convida especialmente a elevar nossas "taxas vibratórias", buscando a melhoria íntima necessária para vivermos nossas vidas em sentimentos superiores e, assim, estarmos aptos a continuar em plenitude neste plano.

A chave para todo processo de crescimento pessoal e compreensão intuitiva da eminente da transição planetária está no autoconhecimento. Pratique cada dia mais a meditação, oração e/ou contemplação. Para quem nunca começou, aprenda primeiro a escutar no silêncio, relaxar a mente e o coração de olhos fechados e aos poucos irá adentrar em planos interiores tão reveladores que não será necessário equações nem manifestações físicas para serem completamente compreendidas e aplicadas para sua própria evolução pessoal/espiritual.


Você é importante na transição. O que você pensa, sente, fala e faz influencia diretamente no todo.


Cultive sentimentos elevados e colherá as dádivas de sua plena realização e auxiliará todos a seu redor nesta transição para novos planos mais elevados de consciência.

0 comentário
 
Fabiano Porto 2019 - Copy - Copy (2).jpg

Fabiano Porto

Jornalista cofundador do Instituto Regeneração Global e movido a compartilhar as evidências da transição planetária e a nova consciência de regeneração.

Profissionais do Autoconhecimento

Conheça ferramentas e técnicas oferecidas por profissionais da saúde mental e espiritual para autoconhecimento e expansão da consciência. 

Navegue pelas Categorias

©2021 by Jornalistas da Nova Era.